Especialistas listam dez mitos e verdades sobre os dentes sisos

Eles surgem por volta dos 16 aos 25 anos e ainda fazem muita gente perder o sono. Por isso, o EXTRA convidou dois especialistas para esclarecer as dúvidas mais frequentes nos consultórios sobre os dentes sisos – ou terceiros molares. Qual a melhor idade para extração? Por que algumas pessoas nascem sem eles? Para que servem esses dentes?

“Anteriormente, a função era manter uma boa atividade mastigatória. Isso porque os primeiros dentes, que nasciam por volta dos seis anos, eram perdidos muito cedo, uma vez que o período era mais suscetível a cáries dentárias. Hoje, como a perda precoce do primeiro molar é rara devido à odontologia mais conservadora e a concentração de flúor nas águas, os sisos perderam a função original”, explica o cirurgião-bucomaxilofacial Augusto Pary.

A cirurgia para retirada dos sisos é feita em consultório, com anestesia local, e dura cerca de 40 minutos. Apenas em casos mais complexos, o paciente pode ser levado ao hospital para fazer o procedimento. Após a cirurgia, é normal haver inchaço e incômodo, que duram de três a quatro dias. Nesse período é importante evitar alimentos quentes (e abusar dos gelados!), não abaixar a cabeça e abrir mão das atividades físicas.

Nem todo mundo, porém, precisa retirar os sisos.

“Em casos raros, o dente nasce harmoniosamente e a retirada não é necessária. Porém, grande parte das pessoas têm problemas, principalmente se os sisos ficarem cobertos por parte da gengiva, o que pode causar infecções, com complicaçoes sérias. Assim, a extração é indicada como método preventivo”, orienta a cirurgiã-bucomaxilofacial Katyuscia Lurentt.

Saiba mais sobre os chamados “dentes do juízo”:

– Quem já extraiu um siso tem que tirar todos os outros;

Mito. O que se recomenda é que, se foi retirado o siso superior do lado esquerdo, por exemplo, o inferior do mesmo lado também seja extraído. É o chamado dente antagonista. “Esse antagonista pode tentar ocupar o espaço do dente removido. O dente pode continuar ‘crescendo’ e machucar a gengiva oposta”, afirma a dentista Cláudia Fugita.

– Não é bom retirar os sisos na adolescência;

Mito. O momento da retirada deve ser avaliado pelo dentista em cada caso. Há estudos que indicam a idade ideal entre os 16 e os 18 anos, porque há somente 2/3 da raiz formada. Após esse período, a extração pode ser mais complicada.

– Sisos podem atrapalhar o alinhamento dos outros dentes;

Verdade. A força da erupção dos sisos pode fazer com que dentes vizinhos fiquem desalinhados ou até apinhados (uns por cima dos outros). O nascimento dos sisos também pode atrapalhar o tratamento ortodôntico. “Como o dente siso é o último da arcada e normalmente tem pouco espaço para nascer, ele pode dificultar a movimentação dos outros dentes em tratamento com aparelhos ortodônticos”, afirma Cláudia Fugita.

– Mesmo antes de nascer, o siso está sujeito a cáries.

Mito. Qualquer dente só estará sujeito à cáries se exposto ao meio bucal. Porém, se o siso estiver semi-incluso, ou seja, com uma parte exposta e outra sob a gengiva, e não houver uma higiene adequada, ele pode, sim, ter cárie.

– O siso pode atrapalhar a movimentação da boca, a fala e a respiração.

Mito. O dente siso não interfere na fala e na respiração. Pode acontecer de atrapalhar a movimentação da boca se gengiva estiver inchada ao seu redor, devido a um processo chamado pericoronarite (inflamação da gengiva).

– É normal sentir dor e ter sangramento quando o siso está nascendo.

Depende. Normalmente o dente do siso não causa dor nem sangramento para nascer. A dor acontece quando há uma infecção na parte da gengiva que recobre o siso.

– O siso é um dente mais difícil de extrair do que os outros.

Verdade. Por estar em um local de difícil acesso, a extração do dente do siso é mais complexa. Muitas vezes, ele está numa posição desfavorável (em lugar de nascer na posição vertical, ele nasce horizontalmente ou inclinado) e isso pode dificultar a remoção. Os especialistas, entretanto, dispõem de técnicas que permitem a extração com tranquilidade.

– É possível retirar os quatro sisos de uma vez.

Verdade. A extração dos quatro sisos de uma única vez pode ser feita em consultório e, ao contrário do que muita gente acredita, usando apenas anestesia local. “Mas esse tipo de procedimento não é necessário. Vai depender do julgamento do profissional”, afirma o cirurgião-bucomaxilofacial Augusto Pary.

– Sisos inclusos podem provocar perda óssea.

Raramente. A perda de massa óssea ao redor do siso só acontece se houver um problema periodontal ou de infecção crônica. A perda óssea também pode estar ligada à formação de um cisto ou tumores. Mas esses são casos muito raros, segundo Pary.

É possível nascer sem os sisos ou com apenas alguns deles.

Verdade. É muito comum. O siso é um dente em extinção, ou seja, ao longo do tempo a arcada humana diminuiu e o número de dentes foi reduzido. É uma adaptação do ser humano à evolução da espécie.

Fonte: Extra